quinta-feira, 6 de maio de 2010

Chaves Testes Relacionados as Práticas Ágeis

 

    Temos quatros áreas principais de perigo para desenvolvimento ágil: 

    • Ambigüidade: Não saber o que seus clientes querem;

    • Dependências: Escrever ou remover código que irá danificar o aplicativo;

    • Hipóteses: Basear-se em produtos dos outros e não consultar o cliente;

    • Capacidade: Tendo muito ou pouco do que é necessário: Informação, pessoal ou qualquer coisa que possa retardar ou parar o progresso da criação e implantação das iterações.

      Após exposição das áreas de perigo do desenvolvimento ágil, foi apresentado um slide intitulado "8 Chaves Testes Relacionados a Práticas Ágeis”, mas somente foi descrito 7 Chaves Testes:

      1. ATDD – Desenvolvimento Orientado a Testes de Aceitação

      Começar os testes no início, no começo da concepção e ensaio.  No entanto ficará sempre uma questão em mente:

      ”Como a mudança ou adição afetará o resultado final?"

      2. TDP - Teste Dirigido a Práticas

      Fazer expectativa explícita e expulsar ambigüidade. Alinhar as expectativas, a documentação e alavancar o desenvolvimento com foco em resultados executáveis, não afastasse dos requisitos a menos que o projeto possa ser melhorado.

      3. Testes de regressão

      Reduzir a latência e ajustar o projeto de acordo com o feedback (resposta). Corrigindo os defeitos que são detectados, mas não perdendo o foco do curso do teste inicial.

      4. Teste de propriedade coletiva

      Geralmente uma equipe tem inúmeras aplicações.

      Se encontrar um bug numa outra aplicação que não é foco atual da equipe, entretanto é preciso consertar para aplicação foco, partilhar essa descoberta com a equipe explicando como o encontrou e o resolveu.

      Manter a equipe informada acelera o processo de testes e avançará a propriedade coletiva da equipe.

      5. Integração Contínua

      Quando encontrar um bug consertá-lo. O procedimento aconselhável é consertar o defeito e compartilhar a solução com a equipe.

      6. Teste Exploratório

      Teste exploratório é implementado simultaneamente com o desenvolvimento de um aplicativo.

      É uma ótima maneira de se familiarizar com o aplicativo, analisar como reage às situações diferentes.

      Os testes de projeto que você esteja certo que resultará em falha, mantê-los em mente quando estiver escrevendo testes exploratórios

      Receber e dar feedback (resposta) é uma excelente maneira de estudar a direção. E ver se produto esta indo para direção certa.

      7. Ensaio da Entrega

      Mesmo quando aplicativo passou por todos os testes, oferece ao usuário uma experiência comprovadamente positiva, sendo livre virtualmente de defeitos e parecendo pronto para chegar ao mercado: PARE.

      Um dos piores fracassos é o lançamento de produto prematuramente com problema. Testes nem sempre podem prever como uma aplicação vai responder a diferentes entradas.

      O  Ensaio da entrega é uma prática que nenhuma equipe deverá saltar dando um grande valor para forma que público vai reagir ao pedido, avaliando performance e quanta de carga poderá suportar. Quebrando mais cedo ou mais tarde conforme a necessidade.

      Fonte:

      STAREAST: Is my software development organization agile? By Dan Mondello, Assistant Editor

      29 Apr 2010 | SearchSoftwareQuality.com

      Quase todo artigo foi baseado no conteúdo da oradora Elisabeth Hendrickson-STAREAST.

      http://searchsoftwarequality.techtarget.com/news/article/0,289142,sid92_gci1511177,00.html?track=NL-498&ad=764596&asrc=EM_NLN_11484769&uid=5314741

      Bye see you next post

      Nenhum comentário:

      Postar um comentário