quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

O que é FDD?

É uma metodologia ágil para gerenciamento e desenvolvimento de software.

Origem do FDD

FDD nasceu num projeto em Cingapura(1997 e 1999) partir da análise, design e POO desenvolvida por Peter Coad nas décadas de 1980 e 1990 e das técnicas de gerenciamento iterativo, incremental e enxuto de projetos utilizadas por gerente de projetos Jeff De Luca.

A primeira descrição oficial dos processos foi publicada no livro "Java Modeling in Color with UML", por Peter Coad, Eric Lefebvre e Jeff De Luca, em 1999.

O livro de referência é "A Practical Guide to Feature-Driven Development", por Stephen Palmer e John Mac Felsing, publicado em 2002 pela Prentice-Hall, compondo uma série editada pelo próprio Peter Coad.

Fases do FDD

  • Concepção & Planejamento: Pensar um pouco antes de fazer ( Tempo 1 a 2 semanas) ;
  • Construção: Fazer de forma iterativa (Possibilidade de iterações de 2 semanas).

Os cinco processos FDD definidos e integrados:

  1. Desenvolver um Modelo Abrangente: Pode envolver desenvolvimento de requisitos, análise orientada por objetos, modelagem lógica de dados e outras técnicas para entendimento do domínio de negócio em questão. O resultado é um modelo de objetos (e/ou de dados) de alto nível, que guiará a equipe durante os ciclos de construção;
  2. Construir uma Lista de Funcionalidades: decomposição funcional do modelo do domínio, em três camadas típicas: áreas de negócio, atividades de negócio e passos automatizados da atividade (funcionalidades). O resultado é uma hierarquia de funcionalidades que representa o produto a ser construído (lista de espera do produto);
  3. Planejar por Funcionalidade: Abrange a estimativa de complexidade e dependência das funcionalidades, levando em consideração a prioridade e valor para o cliente. O resultado é um plano de desenvolvimento com os pacotes de trabalho na seqüência apropriada para a construção;
  4. Detalhar por Funcionalidade: Dentro de uma iteração de construção a equipe detalha os requisitos e outros artefatos para a codificação de cada funcionalidade e testes. O projeto para as funcionalidades é inspecionado. O resultado é o modelo de domínio mais detalhado e os esqueletos de código prontos para serem preenchidos.
  5. Construir por Funcionalidade: Cada esqueleto de código é preenchido, testado e inspecionado. O resultado é um incremento do produto integrado ao repositório principal de código com qualidade e potencial para ser usado pelo cliente.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Feature_Driven_Development

 

Fonte:

http://heptagon.com.br

e

http://www.featuredrivendevelopment.com/

e

http://pt.wikipedia.org/wiki/Feature_Driven_Development

Bye see you next post

Nenhum comentário:

Postar um comentário